Edição do dia
Sex, 21/04/2017 | Atualizado em: 21/04/2017 às 05h00

Pilhado! Palocci abre o verbo pra Moro

das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O ex-ministro Antônio Palocci disse que está à disposição do juiz federal Sérgio Moro para apresentar "fatos com nomes, endereços e operações realizadas" que, de acordo com o ele, devem render mais um ano de trabalho à Lava Jato.

Palocci foi interrogado por Moro, ontem, na ação em que é acusado de agir no governo em favor da Odebrecht entre 2006 e o final de 2013. O depoimento durou mais de duas horas. O ex-ministro ainda elogiou a Lava Jato e a definiu como uma investigação importante: "Acredito que posso dar um caminho, talvez, que vá lhe dar mais um ano de trabalho, mas é um trabalho que faz bem ao Brasil".

Palocci foi alvo da 35ª etapa da Lava Jato, deflagrada em setembro de 2016. Atualmente, ele está preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba.

Palocci confirmou a Moro que tratou de contribuições eleitorais para a campanha presidencial com o Grupo Odebrecht. "Acredito que a última vez que eu tratei esse assunto com o senhor Marcelo [Odebrecht], ou com o grupo, foi na passagem de 2009 para 2010. Estavam começando os preparativos da campanha da presidente Dilma. Estive com ele por outro motivo e ele foi ativo na questão e falou: 'Pode dizer à presidente que vamos ter uma participação importante na campanha'".

Publicidade