Edição do dia
Sex, 11/08/2017 | Atualizado em: 11/08/2017 às 05h00

Comandante Mancini muda tudo no Leão

Juliana Lisboa
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

Responsável por melhorar o desempenho do Vitória nas três semanas em que chegou ao time, o técnico Vagner Mancini não esconde que esta foi a vez em que assumiu o Rubro-Negro na situação mais delicada.

Nas outras três passagens (2008, 2009 e 2015), o Vitória vinha de momentos ruins em campo, mas não sofria tantos problemas na administração. Dessa vez, Mancini chegou a um Vitória com 12 pontos, vice-lanterna do Brasileiro, e com uma diretoria se reajustando.

Segundo o técnico, que chegou para "apagar um incêndio", o cenário permitiu que ele conseguisse algumas exigências antigas, como um contrato mais longo – até 2018 – e a possibilidade de implantar um projeto a longo prazo.

"Foi uma cartada minha e uma situação onde eu enxerguei que o clube aceitaria porque ele também estava numa situação difícil. Não tem como você fazer um projeto sem que haja aceitação ou compromisso. Então nós sentamos, discutimos, eles entenderam", diz.

Mesmo ainda na zona de rebaixamento, a situação já melhorou: o Vitória teve 77% de aproveitamento nas três rodadas que passou sob o comando do treinador, com um empate e dois triunfos.

Mancini disse que essa motivação é importante para que a torcida volte a povoar o Barradão. "Conta muito para o jogador ouvir a torcida gritar 'Nêgo'. O Vitória precisa voltar a ser temido dentro de casa".