Edição do dia
Qua, 13/09/2017 | Atualizado em: 13/09/2017 às 05h00

Vezeiro Temer na mira do Supremo

das agências
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso, autorizou a abertura de inquérito para investigar o presidente Michel Temer por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. O chefe do Executivo teria agido para beneficiar empresa que atua no Porto de Santos, no litoral paulista, por meio de um decreto de regulamentação do setor.

Segundo Barroso, as provas mostram que o ex-assessor de Temer, Rodrigo Rocha Loures, o 'deputado da mala', menciona intermediários de repasses ilícitos para Temer em troca de favorecimento da empresa Rodrimar. Loures também será investigado. Em nota, a Rodrimar afirmou que "nunca recebeu qualquer privilégio do poder público".

Barroso acrescentou que o inquérito para investigar Temer é um 'preço' a pagar pelo princípio republicano que determina a igualdade de todos perante a lei. A Procuradoria-geral da República entendeu que o caso não tem relação com a Lava Jato, por isso a decisão coube a Barroso e não ao ministro Edson Fachin.