Edição do dia
Sáb, 10/02/2018 | Atualizado em: 10/02/2018 às 05h00

Assassinados Convite pra festa foi esparro fatal

Euzeni Daltro
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

O garçom Danilo Rocha Pitta, 22 anos, saiu de casa para cortar o cabelo e de lá aceitou o convite do colega, o mototaxista Dílson Batista Silva, 41, para ir a uma suposta festa de aniversário. Horas depois, ele e Dílson foram encontrados mortos a tiros, dentro de um Fiat Uno vermelho, na Rua 8 de Dezembro, em Paripe – próximo à casa de parentes de Danilo. O crime foi cometido na tarde de quinta (8).

A família de Danilo acredita que ele foi morto por engano. "Ele estava com a pessoa errada, na hora errada e no lugar errado. Se ele tivesse ido assistir ao filme com o outro colega, ele estaria vivo", afirmou uma prima do garçom, que preferiu não ser identificada por medo de represálias.

Ela se referiu ao fato de Danilo ter recusado o convite de um colega para assistir a um filme para ir à suposta festa de aniversário com Dílson, conforme informaram parentes do garçom à reportagem. Eles não souberam informar o local da suposta festa.

Ainda de acordo com os parentes, o carro foi visto por populares circulando na região, antes de ser abandonado na Rua 8 de Dezembro. "Viram esse carro na UPA e passando por um bar aqui próximo. Logo depois, o carro foi parado na rotatória e dois homens saíram de dentro correndo em direção à linha do trem. Os caras não são daqui", contou uma tia de Danilo.

Danilo era garçom em um restaurante na Barra. Ele deixa mulher e uma filha de 3 anos. O enterro dele está previsto para ocorrer às 10h de hoje, no Cemitério de Nossa Senhora do Ó, Paripe.