Qua, 13/06/2018 | Atualizado em: 13/06/2018 às 05h00

Nenê toca o terror e faz o Leão parecer um filhote

Jefferson Domigos
compartilhe
Enviar para Amigo
INDIQUE A UM AMIGO

Para enviar para outro(s) amigo(s), separe os e-mails com “ , ” (vírgula). Ex.:nome@exemplo.com.br, nome@exemplo.com.br

Imprimir
Reportar erro

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas pelo MASSA preencha os dados abaixo e clique em "Enviar"

Aumentar fonte Diminuir fonte

A participação do Vitória no Brasileiro, antes da parada para Copa do Mundo, terminou com uma frustante derrota ontem, por 3 a 0, para o São Paulo, no Morumbi. O jogo ficou marcado por uma expulsão duvidosa de Yago, ainda no primeiro tempo, quando o jogo ainda estava 1 a 0, o que dificultou uma reação rubro-negra. Na 15ª colocação com 12 pontos, o Leão ainda pode parar na zona de rebaixamento, caso Atlético-PR e Santos vençam hoje.

O Rubro-Negro só joga agora no dia 18 de julho, contra o Paraná, no Barradão, sem Neilton. O jogador reclamou bastante da expulsão de Yago, levou o terceiro amarelo e está suspenso da próxima rodada.

Apesar do desfalque da dupla de zaga titular (Kanu e Ardelan), o Vitória não se intimidou no Morumbi e incomodou. Rhayner tabelou com André, entrou na pequena área e bateu cruzado. Sidão defendeu. No rebote, Wallyson chutou de primeira e desperdiçou ótima chance.

Mas Nenê quebrou a empolgação do Leão com uma pintura. O meia recebeu passe de Araruna, 'chapelou' Lucas Marques e colocou a redonda no ângulo. Aos 34 minutos, um lance decisivo para a partida. Yago foi expulso após fazer uma falta em Nenê. Na interpretação do árbitro Igor Benevenuto, o meia do Rubro-Negro, além de puxar o são-paulino, que reagiu com os braços para trás, respondeu com um tapa, que não acertou.

A partir daí a coisa desandou. Nenê puxou contra-ataque e acionou Everton, que devolveu para Nenê marcar o segundo dele.

No segundo tempo, Mancini colocou Lucas Fernandes, jogador de mais movimentação, no lugar de André Lima. Mas não adiantou de nada. O Tricolor Paulista foi absoluto e marcou o terceiro com Everton. O São Paulo ainda teve um gol de Caíque mal anulado. Até o jogo contra o Paraná, Mancini terá 36 dias para poder trabalhar e tentar ajustar o time, que briga pelo terceiro ano consecutivo pra não cair.