Te Contei?

Qui, 12/07/2018 | Atualizado em: 12/07/2018 às 05h00


Te Contei?

A voz do grupo Imaginasamba é movida a música

A+ A-

"Aos 10 anos eu já escrevia músicas em meu caderno. Compunha sem saber o que realmente estava fazendo", conta Maxwell Alves Silva, 33, mais conhecido como Suel, vocalista da banda de pagode romântico Imaginasamba.

Desde aquela época, momentos vividos por pessoas próximas servem de inspiração na hora de compor. "Sou movido a música, às vezes estou dirigindo e surge uma melodia na cabeça. Copio no celular e enquanto não finalizo fico agoniado, não gosto de deixar nada inacabado. Ao mesmo tempo, estou sempre produzindo algo novo", revela.

Se compor é algo particular, o canto é herança da mãe, assim como o gosto pelo pagode vem do tio. "Minha mãe canta muita bem, ela cantava durante as missas, mas nunca profissionalmente. Já meu tio Jorginho trabalhava com grupos de samba e levava fita cassete pra casa com o som, além de instrumentos que eu tocava com meu primo. Crescemos nesse ritmo".

Fora de casa, o músico admite que Alexandre Pires é sua maior referência e sonha trilhar os mesmos passos que ele. "Ele é minha inspiração. Comecei a estudar espanhol graças a ele, depois de ouvi-lo cantando no idioma", diz.

Os músicos baianos também têm vez. "Xanddy tem um carisma natural, é impossível não gostar dele. Léo Santana é um artista extremamente dedicado, ele respira música, e Saulo é a música em pessoa, já regravei sua canção 'Anjo'", cita.

O coração de Suel ainda tem lugar para o público baiano. "Aqui existe uma áurea diferente, um swing, um jeito de levar a vida que nos faz sentir mais leve e isso cativa", ressalta. "Nos shows, isso é confirmado com a energia que a galera passa", completa.

É essa vibe que ele pretende sentir no show de lançamento do DVD do cantor Ferrugem em Salvador, dia 4 de agosto, quando o Imaginasamba participa do evento com canções do 11º álbum do grupo, "Do nosso jeito". Vai perder?

* Sob a supervisão da editora Ellen Alaver