Plantão

Sex, 11/01/2019 | Atualizado em: 11/01/2019 às 05h02


Plantão

Jovem foi executada em praça pública

Da Redação
A+ A-

"Aconteceu uma onda lá no Vale das Pedrinhas, aí ela veio morar aqui. Estava até trabalhando, mas estava fazendo coisa errada", desabafou, com um ar conformado, dona Lenilza Crispina de Santana, ao falar sobre a morte brutal de uma das filhas, a vendedora ambulante Priscila Santana Dias, 29 anos.

Priscila morreu na noite de quarta-feira (9), no Hospital Geral Menandro de Farias, em Lauro de Freitas, após ser baleada diversas vezes por dois homens que chegaram ao local em uma moto já atirando. A mulher estava sentada em um banco na Praça Martiniano Maia, no Centro, na companhia dos dois filhos, de 12 e 10 anos. As crianças não foram atingidas. "Graças a Deus, eles estão bem", disse dona Lenilza. Priscila vendia quentinhas com comida próximo à prefeitura. Segundo um morador da rua, além de comercializar alimentos, Priscila também vendia drogas na praça e já havia sido alertada por traficantes que agem na área.