Nas Ruas

Sex, 08/02/2019 | Atualizado em: 08/02/2019 às 05h07


Nas Ruas

É preciso conversar sobre gravidez na adolescência

Luan Borges*
A+ A-

A Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape) realizou ontem roda de conversa no Ambulatório Materno-Infantil Nelson Barros, nas dependências da Faculdade de Medicina da UFBA. O evento aconteceu em decorrência da Semana Nacional de Prevenção da Gravidez na Adolescência.

A estudante do 8º ano, S.B., de 15 anos, foi uma das participantes do bate-papo. Há algumas semanas descobriu a gravidez e comenta que teve pouca informação sobre o uso de métodos contraceptivos. A jovem salienta que não recebeu nenhuma orientação na escola e que, mesmo com a gravidez precoce, não vai parar de estudar. "A minha mãe e a minha sogra vão me ajudar a cuidar da criança", afirmou.

S.B. faz parte dos números divulgados pela SESAB. Os dados revelam que um em cada cinco bebês nascidos vivos na Bahia nos últimos quatro anos, foi gerado por uma jovem com idade entre 10 e 19 anos.

A roda de conversa, que buscou orientar sobre a gravidez na adolescência, contou com a mediação da obstetra e ginecologista Maria Machado. A especialista diz que muitas adolescentes não têm abertura para conversar sobre sua sexualidade com a família e, às vezes, até mesmo na escola.

* Sob a supervisão da editora Meire Oliveira