Plantão

Qua, 17/04/2019 às 10h13 | Atualizado em: 17/04/2019 às 10h31


Plantão

Grávida é morta com tiros no rosto

Andrezza Moura
A+ A-
Polícia apura se Michela foi assassinada a mando de traficantes de drogas ou se foi crime passional. O bebê que ela esperava não sobreviveu - Reprodução
Polícia apura se Michela foi assassinada a mando de traficantes de drogas ou se foi crime passional. O bebê que ela esperava não sobreviveu
Reprodução

 

O delegado Vitor Eça, titular da 25ª Delegacia (Dias D'Ávila), aguarda ouvir familiares da dona de casa Michela Nayara Dias, 22 anos, para concluir as investigações sobre a morte dela, no domingo (14), na Av. Tiradentes, no bairro Genaro, em Dias D'Ávila, na Região Metropolitana.

Michela, que estava grávida de seis meses, levou um tiro no rosto, por volta das 22 h, e morreu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do município, para onde foi levada pelo companheiro de prenome Rafael, o Kaky.

Testemunhas que já prestaram esclarecimentos na delegacia contaram que a jovem foi morta por um homem que estava na garupa de uma motocicleta de dados não anotados. A dupla ainda não foi identificada. Segundo o delegado, após o crime,os suspeitos roubaram os celulares de dois moradores que estavam na rua e, inclusive,os agrediram com coronhadas.

Apesar de ainda não ter identificado os suspeitos, o delegado trabalha com duas linhas de investigação para elucidar o assassinato de Michela. Uma possível ligação dela com o tráfico de drogas e o crime passional são apurados por Eça.

Sob anonimato, uma fonte policial afirmou que Kaky, atual companheiro da dona de casa, tem envolvimento com o tráfico de drogas e integra a facção Comissão ou Comando da Paz (CP). Ela já teria se relacionado com outro traficante de drogas bastante conhecido em Dias D’Ávila. 

Ameaças pelo ‘zap’

Logo depois da morte de Michela, áudios de um suposto traficante de drogas começou a circular entre os moradores da cidade, via WhatsApp.  Na mensagem, o homem proíbe as moradoras do bairro Urbis de irem ao Genaro. “... A Urbis vai virar um inferno...”, diz em um trecho do áudio. Um morador afirmou que o autor dos áudios é um traficante de drogas conhecido no município pelo apelido de Bomboniere.

Ainda conforme ele, atualmente, Bomboniere está custodiado no Complexo Penitenciário da Mata Escura. Ele seria um dos líderes da CP nos bairros Genaro e Telebahia. Os assassinos de Michela seriam moradores da Urbis, localidade dominada pela facção Bonde do Maluco (BDM).