Viver Bem

Sex, 16/08/2019 | Atualizado em: 16/08/2019 às 04h03


Viver Bem

Correr é bom, mas seja 'suave'

gabriel conceição*
A+ A-
almassa.com.br

Por ser uma atividade física de baixo custo, a corrida de rua vem se tornando cada vez mais popular no Brasil. Diversas pessoas estão encontrando neste esporte uma forma de sair do sedentarismo e mudar o estilo de vida.

Segundo dados divulgados no site da Federação Bahiana de Atletismo, cerca de 40 corridas serão realizadas este ano em Salvador.

No entanto, apesar dos inúmeros benefícios que a corrida de rua pode trazer, como fortalecer o coração, combater a obesidade e controlar o colesterol e a pressão alta, a modalidade pode ser perigosa.

De acordo com o ortopedista Paulo Barbosa, praticar esse esporte de forma inadequada, sem passar pelo médico e sem realizar exames pode trazer algumas complicações à saúde.

"Na corrida de rua, forçamos nossas articulações a um impacto forte, podendo causar lesões nos tornozelos, joelho, pés e coxa. Com esse impacto, uma das partes que mais sofrem é o esporão de calcâneo (localizado no pé), pois ele absorve todo nosso peso, podendo causar uma inflamação. Se sentir dor nesse local durante o exercício, pare imediatamente", alertou o médico.

Além de lesões na parte inferior do corpo, problemas no assoalho pélvico e lombar podem surgir por causa dos fortes impactos.

O ideal é evitar o asfalto, ainda mais se for irregular. A prática na terra ou na grama é aconselhável, pois amortece mais o abalo causado pela atividade.

"É muito importante prestar atenção no tênis que usamos e evitar o cansaço exagerado. Conheça seus limites e jamais ultrapasse eles. Antes de iniciar qualquer atividade física, faça exames e siga as orientações passadas", disse o ortopedista Paulo Barbosa.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos