Viver Bem

Seg, 19/08/2019 | Atualizado em: 19/08/2019 às 04h03


Viver Bem

Açaí é bom e pode ajudar no treino

gabriel conceição*
A+ A-
nalmassa.com.br

Querido por muitos, sobretudo por pessoas que praticam atividades físicas, o açaí se tornou popularmente conhecido por todos o país. Gelado e nutritivo, o alimento tem sido consumido em dietas, sendo geralmente usado como pré ou pós-treino.

No entanto, diversas pessoas perguntam se o açaí é realmente benéfico à saúde. A resposta é simples: ele pode beneficiar o bem-estar dependendo da forma que for consumido pela pessoa.

O açaí vem de uma palmeira que produz um fruto roxo. A fruta tem origem da região norte do Brasil e foi ganhando "fama" depois de ser comercializada em formas de cremes e sucos.

Para a nutricionista Cláudia Figueiredo, além de ser rico em antioxidantes, o açaí possui fibras, ácidos graxos insaturados, proteínas, vitaminas e minerais. É um ótimo aliado para os exercícios físicos.

"Considerado como um 'super alimento' por conter alta quantidade de antocianinas (substâncias antioxidantes que previnem/retardam doenças cardiovasculares, câncer e doenças neurodegenerativas), essa fruta maravilhosa tem bons níveis de antioxidantes, minerais e vitaminas que beneficiam a saúde geral e a boa forma, além de proporcionar aquela bela energia", disse a nutricionista.

Entretanto, alguns tipos de açaí comercializados na forma de cremes, com uma textura parecida com a do sorvete, ou em polpa, podem prejudicar sua dieta e fazer você ganhar alguns quilos a mais se consumido em excesso. Nesses tipos, podem ser adicionados o xarope de guaraná ou de glicose. Além disso, é aconselhável comer o açaí com granola, frutas ou puro, sem a adição de leite condensado ou outras substâncias calóricas.

"Exija que a polpa seja de boa procedência (que tenha passado pelo processo de pasteurização) e não seja adicionado xarope de guaraná ou de glicose. Muitas empresas já estão comercializando o açaí sem xarope (adicionando xilitol, um adoçante natural, em substituição). O açaí pode ser uma boa opção de pré-treino ou lanche", concluiu Cláudia Figueiredo.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos