Esporte

Sáb, 31/08/2019 | Atualizado em: 31/08/2019 às 04h03


Esporte

Leão tá com 'empatite'

everton santos*
A+ A-

O Vitória está mesmo com a "doença crônica" do empate, a "empatite"! Ontem à noite, jogando dentro do Barradão, o Leão ficou no empate sem gols com o Botafogo-SP, chegando ao quarto resultado igual consecutivo na competição - o terceiro em casa por 0 a 0 - e segue próximo da zona de rebaixamento. Com o resultado, o Rubro-Negro chegou aos 21 pontos, na 15ª colocação do torneio, mas aguarda o desfecho da rodada para firmar a sua posição.

Para o duelo no Barradão, Carlos Amadeu teve um problema de última hora. Com uma lesão na coxa, Van foi vetado e Matheus Rocha assumiu a vaga.

E o que se viu no primeiro tempo foi o time do Vitória, mesmo jogando em seu domínio, dando espaços ao adversário paulista que acabou dominando as ações.

O Botafogo-SP deu seu primeiro susto logo aos oito minutos, numa cabeçada de Rafael Costa, em que a bola passou raspando no gol. Aos 22, os paulistas pediram um pênalti quando a bola bateu na mão de Ramon dentro da área, mas o árbitro nada marcou.

O Leão só chegou com perigo aos 27 minutos. Em um chute de fora da área, Felipe Gedoz quase marca para o Rubro-Negro.

No entanto, foram os visitantes que quase abriram o placar com Leandro Amaro, aos 35. O defensor tentou de cabeça, mas o goleiro Ronaldo salvou.

Na volta para o segundo tempo, o técnico Carlos Amadeu mexeu no esquema tático tirando o atacante Caicedo e colocando o volante Rodrigo Andrade.

Com a alteração, o Leão até melhorou na partida. Entretanto, o time parou na falta de criatividade e as melhores chances foram em chutes de fora da área, mas sem muito perigo.

Assim como no primeiro tempo, quem apareceu pra salvar o Vitória foi Ronaldo. Aos 29, Júlio César bateu dentro da área e o arqueiro defendeu. E assim seguiu o jogo na etapa final, sem muitas emoções e com poucas chances dos dois lados, acabando mesmo em um empate sem a bola na rede.

Agora, o Leão volta a campo na terça-feira (3), às 19h15, contra o Vila Nova, no estádio Olímpico, em Goiás.

*Sob a supervisão doeditor Léo Santana