Plantão

Sex, 06/09/2019 | Atualizado em: 06/09/2019 às 04h03


Plantão

Execução Encapuzados são o despertar fatal

Nicolas Melo
A+ A-

A mancha de barro, a fechadura e o vidro quebrados da porta de alumínio de uma casa da Travessa Rio Negro, em Plataforma, eram as provas de que o imóvel tinha sido arrombado na madrugada de ontem. Ícaro Vinicius da Silva Santos, 20 anos, dormia com a companheira e com a enteada de 3 anos, quando homens armados invadiram o local e o arrastaram para fora, onde foi morto. O crime foi cometido por volta das 2h.

Foram, pelo menos, seis homens que entraram na residência – todos encapuzados. "Estávamos deitados quando eu ouvi o barulho e abri os olhos. Eles estavam em pé, ao redor do colchão, olhando para a gente", relembrou a companheira de Ícaro, que não quis se identificar.

Segundo a mulher, eles pediram para o rapaz se levantar e que fosse para fora. "Um deles mandou que eu virasse de costas. Quando saíram, eu aproveitei e corri para a casa de minha mãe, que fica na frente. Um deles me seguiu, mas 'mainha' começou a falar que 'não tem mais ninguém aqui não, moço. Não tem mais ninguém não'", acrescentou.

Os disparos foram, principalmente na cabeça da vítima. Na manhã de ontem, o sangue ainda estava fresco no chão de barro, além do forte odor de massa encefálica. "Ainda tem miolos ali nos matos. Fizeram miséria com ele. Eu acordei com a gritaria de minha filha que vinha correndo, com minha neta nos braços, pela porta de acesso. Ficamos abraçadas quando ouvi vários disparos. Foram muitos tiros. A polícia catou 17 cápsulas e ainda tem mais pelos matos", contou a sogra de Ícaro. Após o crime, o bando saiu correndo para um carro que estava no início da rua e ainda levou dois celulares do casal.