Viver Bem

Ter, 17/09/2019 | Atualizado em: 17/09/2019 às 11h29


Viver Bem

Doençacomum e perigosa

gabriel conceição
A+ A-

Perigoso e mortal, o câncer de endométrio tem uma maior probabilidade de atingir mulheres acima dos 60 anos, quando estão na fase da menopausa.

No entanto, ficar atento a alguns sinais pode ser fundamental para a detecção da doença, possibilitando um tratamento mais rápido e eficiente.

É no endométrio, tecido que reveste a parede interna do útero, que o câncer se inicia, na maioria dos casos.

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), esse tipo da doença é o sexto mais comum em mulheres no mundo. Fica atrás apenas do de mana, intestino, útero, estômago e pulmão.

"Há diversos subtipos de câncer de endométrio, sendo que o mais comum é o carcinoma endometrioide. Geralmente, os sintomas do câncer são secreção aquosa ou com sangue muito claro, dor pélvica, dor durante a relação sexual e sangramento anormal", explicou a ginecologista Mônica Boeck.

A exata causa e origem do problema ainda é desconhecida. O que se sabe até agora é que há uma mutação genética no interior das células do endométrio que transforma as células saudáveis normais em células anormais.

Além disso, fatores de risco, como obesidade, menopausa tardia, diabetes, hipertensão e alcoolismo podem contribuir para o surgimento da doença.

"O certo é que toda mulher deve ir periodicamente ao seu ginecologista, pois um exame de rotina pode detectar qualquer tipo de anormalidade. Um diagnóstico precoce aumenta e muito as chances de cura do câncer de endométrio", concluiu a ginecologista.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos