Plantão

Qui, 19/09/2019 | Atualizado em: 19/09/2019 às 09h28


Plantão

Pastores irão a júri popular

Vitor Castro*
A+ A-

A segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF) derrubou na terça (17) a decisão do Ministro Ricardo Lewandowski, que arquivava o processo dos pastores Fernando Aparecido da Silva e Joel Miranda. Os réus irão a juri popular, acusados de serem cúmplices do pastor Silvio Roberto Santos Galiza condenado a 15 anos de prisão por estuprar, torturar e queimar vivo Lucas Terra, de 14 anos, em 2001.

Davi Gallo, promotor no caso, comemora a decisão  do STF. "Eles vão ser julgados pela prática de homicídio duplamente qualificado.  Tenho muitas provas e quase certeza que serão condenados", declarou Gallo, que relembra a morte do pai de Lucas, Carlos Terra. "Ele não viu a justiça ser feita, mas ela acontecerá", concluiu. Carlos morreu em fevereiro deste ano, sem ver o processo do filho finalizado. Viúva de Carlos e mãe de Lucas, Marion Terra conta que Carlos escreveu uma carta para cada ministro do STF, relembrando que os próprios ministros haviam negado os pedidos de agravo dos réus. "Carlos fez faculdade de direito para acompanhar de perto, ele vivia o processo, não tirava férias", recordou ela.

* Sob a supervisão da editora Meire Oliveira