Viver Bem

Seg, 07/10/2019 | Atualizado em: 07/10/2019 às 09h21


Viver Bem

Mentiras que podem matar

gabriel conceição*
A+ A-
almassa.com.br

Diversos boatos e notícias falsas sobre tratamentos alternativos para o câncer de mama circulam diariamente pela internet. Esse câncer é o segundo maior tipo a afetar as mulheres, atrás apenas do câncer de pele não melanoma . As fake news tratam desde supostas vacinas até alimentos milagrosos para curar a doença.

Para com o oncologista Mauricio Neves, uma pessoa que recebe um diagnóstico de câncer fica emocionalmente fraca, sendo mais fácil acreditar em informações falsas ao pesquisar algo sobre a doença.

"Acreditar nessas notícias pode trazer graves consequências para pacientes oncológicos. Além disso, as fake news podem acabar dificultando o tratamento e agravando o já frágil quadro de saúde. Nessas horas, é importante ter muita atenção, pois alguns desses tratamentos alternativos podem prejudicar os tratamentos convencionais", explicou o oncologista. Ele destaca, ainda, a importância do diálogo entre médico e paciente para esclarecimento de todas as dúvidas, além da cautela de checar se a fonte de notícias na internet é confiável.

Para combater a propagação de informações indevidas e seus impactos envolvendo tratamentos falsos do câncer de mama, o Ministério da Saúde possui um canal aberto com a população, pelo WhatsApp.

No "Saúde Sem Fake News", qualquer cidadão pode enviar gratuitamente mensagens com imagens ou textos que tenham recebido nas redes sociais para confirmar se a informação procede, antes de acreditar e continuar compartilhando.

* Sob a supervisão da editora Kenna Martins