Viver Bem

Qua, 09/10/2019 | Atualizado em: 09/10/2019 às 15h30


Viver Bem

Doença pode afetar o emocional

gabriel conceição*
A+ A-

A descoberta de uma doença nunca é algo fácil de aceitar. No caso do câncer de mama, para muitas pacientes, o impacto psicológico após o diagnóstico é tão grande que pode desencadear uma depressão, um quadro psiquiátrico que afeta o emocional.

A mama tem um valor simbólico de feminilidade, sexualidade, amamentação e fertilidade. Então, uma notícia como um tumor maligno pode ser devastadora, pois, em alguns casos, o tratamento chega a ocasionar a retirada do seio.

Para a psicóloga Graziela Bispo, a depressão pode atingir até cerca de 25% das mulheres com diagnóstico de câncer de mama. No entanto, ela afirma que outros fatores, além dos psicológicos, podem contribuir para o surgimento da depressão.

"Alguns anticorpos produzidos pelo organismo para combater as células cancerosas podem também atingir áreas e proteínas das membranas dos neurônios, levando a quadros neuropsiquiátricos como o da depressão. Além disso, perante um estresse mantido, o nosso sistema imunológico pode sofrer alterações funcionais e ele tem um papel importante para combater e destruir as células que se replicam. Ou seja, é como se a vigilância contra os inimigos do organismo se afrouxasse", explicou a psicóloga.

Nos casos do diagnóstico do câncer de mama, o acompanhamento psicológico é de extrema importância, pois, uma vez que a depressão não é tratada, ela pode afetar o tratamento do câncer.

"Quando houver sinais da doença, como choro excessivo, falta de ânimo, aumento ou diminuição de apetite, insônia e perda ou ganho de peso, entre outros, um especialista deve ser procurado imediatamente. Um diagnóstico cedo, de ambas as patologias, aumenta as chances de cura", concluiu Graziela Bispo.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos