Viver Bem

Qui, 07/11/2019 | Atualizado em: 07/11/2019 às 04h05


Viver Bem

Parasitas são chatos e perigosos

gabriel conceição*
A+ A-

redacao@jornalmasaa.com.br

Pequenos e perigosos, os parasitas pulam, picam, incomodam e se alimentam do sangue do seu pet. Por sugar de outros animais os recursos necessários da sobrevivência, esses organismos podem viver tanto fora como dentro do corpo do hospedeiro, o que pode prejudicar a saúde do seu animal de estimação.

Segundo a veterinária Lívia Medina, geralmente, nos cães e gatos, quando se trata dos parasitas externos, ácaros, pulgas e carrapatos são os mais comuns.

Já os parasitas internos são organismos que se alojam, crescem e se alimentam dentro do corpo dos animais, como é o caso de vermes intestinais e verme do coração.

"Quando se trata dos parasitas externos, alergias, anemias e diversos outros sintomas podem surgir devido a uma infestação. Carrapatos, inclusive, transmitem doenças graves como a babesiose e a erlichiose, popularmente conhecidas como doença do carrapato e que, quando não tratadas, podem levar à morte", explicou a veterinária Lívia Medina.

No caso dos parasitas internos, os sintomas são diferentes para cada tipo. Os vermes intestinais têm uma maior incidência onde vivem vários pets juntos, como em canis.

Sintomas como diarreia, pelagem opaca, fraqueza, apatia, vômito, tosse, perda de apetite e peso são alguns dos sinais que podem indicar uma possível infestação de verminoses.

No entanto, quando o pet é contaminado pelo verme do coração, que é um parasita transmitido por meio de mosquitos, ele afeta o sistema cardiopulmonar dos cães e gatos, sejam domésticos ou silvestres.

"No início, a doença pode não ter sintoma algum. Posteriormente, os cães e gatos podem apresentar problemas respiratórios, como respiração acelerada ou respiração curta e rápida, tosse e cansaço fácil", contou a especialista Lívia Medina.

* Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos