Plantão

Qui, 07/11/2019 | Atualizado em: 07/11/2019 às 04h05


Plantão

Tiros deixam cerveja pra outra hora

ANDREZZA MOURA
A+ A-

andrezza.moura@hotmail.com

Do alto dos seus 80 anos, a líder comunitária Maria Clara Batista de Souza busca explicação para entender o que motivou a tentativa de morte contra o neto, Claudemir de Souza Oliveira, 30, na tarde da terça-feira (7), na Rua David Ferreira, em Plataforma, na localidade Alto do Cemitério.

O rapaz foi baleado duas vezes na virilha, dentro do Bar Bariri, enquanto bebia cerveja e conversava com amigos. Ele foi levado ao Hospital do Subúrbio (HS), onde passou por cirurgia e, até ontem, seguia internado em coma induzido.

Na mesma ação, Júlio César dos Santos, 59, levou um tiro de raspão na barriga, mas já teve alta.

"Ele trabalhou três dias seguidos. Chegou ontem e, como estava muito calor, desceu para tomar uma cerveja. Não sei o que foi, ele é trabalhador. Trabalha na Semop [Secretaria Municipal de Ordem Pública, órgão da Prefeitura de Salvador], há seis anos", revelou a senhora.

Claudemir mora ao lado do bar e trabalhou três dias seguidos na intenção de juntar dinheiro para pagar o aluguel do imóvel onde mora com a esposa e os três filhos.

Segundo um policial civil, três homens participaram da ação. O delegado Marcelo Lins, titular em exercício da 29ª DT (Plataforma), apura o crime.