Viver Bem

Sáb, 08/02/2020 | Atualizado em: 08/02/2020 às 04h00


Viver Bem

Performance exagerada na hora H

Durval Ferreira*
A+ A-

Uma vida sexual de qualidade envolve atração fisica, desejo e inovação na rotina erótica.

E tem muita gente que, para agradar e impressionar na hora H, finge prazer na cama e apela para performances sexuais.

Mas isso pode acabar sendo prejudicial para o casal. De acordo com o sexólogo Jeová Batista (@doutorpinto), a performance sexual deve ser natural e não inspirada em filmes eróticos.

"Muitos casais desejam agir da mesma forma que atores em filmes pornográficos, e não vão alcançar o êxito esperado", afirmou o profissional.

Gustavo Trindade (nome fictício), de 22 anos, acha performances sexuais forçadas e desestimulantes. "Uma vez eu transei com uma garota que ficava fingindo prazer com qualquer movimentação que eu fazia, e eu sabia que aquilo era falso. Acabei brochando", confessou o jovem.

Já Ruana Fernandes (nome fictício), de 23 anos, acha importante performar no sexo. "Eu acho que a gente tem que gemer, gritar, cavalgar e se inspirar em filmes pornográficos. Eu acho os filmes uma aula, e eu consigo sentir prazer com isso, na hora da cama sou outra pessoa", admitiu ela.

O sexólogo Jeová Batista ainda alerta que buscar inspiração em outras pessoas é algo normal, mas questões de intimidade precisam de um cuidado maior. "Cada vez mais tem surgido pessoas com ansiedade de desempenho, com a necessidade de fazer o outro ter orgasmo e isso é prejudicial. Em um atendimento na clínica, uma mulher revelou que só conseguia transar nas escuras porque não sentia o corpo parecido com a atriz de um filme pornô, e essa inspiração impacta negativamente para a mulher e para o homem também", destaca o sexólogo.

* Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos