Plantão

Sáb, 15/02/2020 | Atualizado em: 15/02/2020 às 04h00


Plantão

Grafiteiro Relato revela o desespero

leo moreira
A+ A-

Ainda se recuperando e com as marcas e curativos pelo corpo, Jerry, uma das vítimas de agressão na quinta-feira (13), no bairro do Imbuí, foi ao velório do amigo, Jailson Galdino Souza dos Santos, conhecido como Scank, que não teve a mesma sorte do companheiro de grafitagem e morreu no local após ser baleado.

Depois do sepultamento, ainda muito abatido, o homem de 27 anos falou com a reportagem e relatou o que teria acontecido no episódio que teve como desfecho a morte do amigo, que conhecia há mais de 12 anos.

"Eu e ele vimos um muro em branco ali e resolvemos grafitar. Eu estava na parte de cima, começando a grafitar, quando avistei dois homens em volta de Scank. Aí desci para ver o que era. Eles estavam falando: "É o quê que vocês querem aqui pichando aqui?'".

A testemunha contou também que quando desceu para ajudar o amigo, já teria outros dois homens e disseram que iriam levar ele para ver um homem que o chamavam de Coroa. "Quando chegamos lá, tinha um cara armado. Na confusão, eles já começaram a bater em mim e em Scank".