Plantão

Sáb, 22/02/2020 | Atualizado em: 22/02/2020 às 04h00


Plantão

Quebradeira deu preju a ambulantes

Nicolas Melo
A+ A-

A noite de quinta (20), na Barra, era para ser de folia para uns e de lucro para outros, mas terminou com prejuízos após diversos foliões e ambulantes serem pisoteados e vários danos materiais para os vendedores.

A situação aconteceu por volta das 23h30, logo após a passagem do trio Os Mascarados, com Margareth Menezes.

A galera se queixou dos 'gelos baianos', posicionados nas saídas da avenida, como no Beco da Off e nas demais ruas de acesso à Marques de Leão, que não deixavam a 'massa' escapar pelas transversais. Logo, quem estava na frente e no meio era empurrado ou arrastado para os pontos de bloqueio pelos que viam atrás.

Testemunhas disseram ao MASSA! que a pipoca que seguia Os Mascarados era empurrada pelos foliões do Chiclete com Banana, que vinha logo atrás. "A sensação que tivemos é que a gente estava sendo empurrado pelo trio. Parecia que ele (veículo) estava muito rápido, muito além do normal", disse Carine dos Santos, 21.

"Quando passávamos pelos becos, eles estavam bloqueados com os 'gelos baianos'", contou Carine. "Uma amiga ficou pressionada no equipamento e feriu a perna", acrescentou.

O ambulante Caique dos Santos Morais, 20, perdeu toda a 'guia' de bebidas que tinha colocado para trabalhar durante o Carnaval. Ele estava com uma barraca padronizada em frente ao Beco da Off e relatou momentos de pânico quando a multidão passou.

"As pessoas vinham e empurravam a gente. Eu ficava empurrando e dizendo para não chegar, mas eles não ouviam. Eu fiquei, durante um tempo, protegendo a minha guia, mas não deu", relembrou o Caique.

"Ao chegar no gelo, não consegui passar e fiquei prensado. Eu só lembro de cair sobre ele, desmaiado. Depois, só de acordar no posto", completou o ambulante. O prejuízo dele é estimado em cerca de R$ 200.

"Perdi minha caixa de isopor e produtos. Tive uma perda entre R$ 300 e R$ 400 e só vou trabalhar hoje (ontem) porque um colega me emprestou uma caixa", lamentou Ana Cláudia, 37, sogra de Caíque.