Plantão

Qua, 24/06/2020 | Atualizado em: 24/06/2020 às 15h43


Plantão

Caneta vai ficar sem 'riscar'

Andrezza Moura
A+ A-

Chegou ao fim, na tarde de segunda-feira (22), as buscas por Edileuso de Jesus Nascimento Filho, 25 anos, o Caneta, apontado como responsável pela morte do policial militar Danilo Macedo de Oliveira, 34, que era lotado na 50ª CIPM (Sete de Abril). O suspeito foi localizado 11 dias após o crime, em operação das Polícias Civil e Militar, numa casa na Rua do Alvo, bairro Saúde, após denúncia anônima.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP/BA), Caneta reagiu à abordagem policial e foi baleado durante o confronto. Ele foi levado ao Hospital Geral do Estado (HGE) por policiais militares da Rondesp Central, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Ainda de acordo com o órgão, no último dia 11, quando baleou o soldado, ele havia trocado tiros com a polícia. Depois, fugiu.

Com ele foram apreendidos revólver calibre 38, munições, três celulares, 100 pedras de crack, 30 pinos de cocaína, 89 trouxinhas de maconha, R$ 116 em espécie e uma corrente dourada. Conforme a SSP, Edileuso possuía vasta ficha criminal e tinha passagens por tráfico de drogas, roubos e porte ilegal de arma.

Equipes da Polícia Militar do COPPM, do CPRC/ Central, do CPRC/BTS , do CPE, do 18º Batalhão da Polícia Militar (Pelourinho), da Rondesp Central e da 50ª CIPM (Sete de Abril), além de investigadores do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Delegacia de Homicídios Múltiplos (DHM), do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) participaram da ação. Essas equipes integram a Força-tarefa que apura mortes de policiais.