Andrezza Moura

redacao@jornalmassa.com.br

O policial penal José Carlos de Oliveira Júnior, 42 anos, lotado na Cadeia Pública, em Mata Escura, foi executado a tiros, na noite de domingo (23), em Itapuã. Ele foi morto com diversos tiros na cabeça, por volta das 22h, quando andava pela Praça Dorival Caymmi – a poucos metros da 12ª Delegacia (Itapuã).

Sob anonimato, um policial revelou que, há um mês, Júnior havia se desentendido com um traficante conhecido como George, que age nas localidades Baixa da Soronha e Dendê, em Itapuã, e, na ocasião, o baleou.

Ainda segundo ele, na noite do domingo, George e um comparsa, identificado como Patolino, teriam ido em busca de Júnior para se vingar.

“Tinha dado tiro em um ‘bicho’ da Soronha, acertou um tiro no pé de um ’33’ [traficante] e, ontem, o vagabundo foi se vingar”, disse o policial, afirmando que Júnior costumava ficar perambulando pela rua procurando confusão e estava há quatro dias sem ir em casa. “Ele [agente] gostava de dar tiros em via pública, sem qualquer motivo”, completou.