Gestor apontou que a vida humana deve ser priorizada
Foto: Shirley Stolze/Ag. A TARDE

Jefferson Domingos

A aprovação do Ministério da Saúde para que a CBF inicie a liberação gradual do público nos estádio de futebol segue com a desaprovação das autoridades baianas. Após o prefeito de Salvador ACM (DEM) ter dito que é necessário mais tempo para tomar uma decisão com segurança, foi a vez do governador Rui Costa (PT) reforçar a posição contrária à medida.

“Tem morrido quatro times de futebol por dia. Em uma semana, toda a Série A estaria morta. Teve comoção com a morte do time da Chapecoense. É como se todo dia, quatro aviões com equipes tivessem caído. Só teve comoção nacional quando teve a queda do avião?”, questionou.

Rui disse que sabe das dificuldades financeiras pelas quais os clubes estão passando sem a receita de bilheteria, mas ressaltou que a vida humana deve ser priorizada. “Tudo bem que tem a arrecadação, mas entre isso e a vida humana, vamos ficar coma vida humana. Vamos compensar essa arrecadação com a participação em comerciais de TV”, indicou.

Apesar da aprovação do Governo Federal, a CBF ainda não tem uma definição sobre o retorno de torcedores aos estádios. A entidade vai se reunir com os clubes da Série A na tarde de hoje para tratar o assunto.