Foto: Rafael Martins/ Ag: A TARDE

Sexta-feira, 27 de novembro, é a tão sonhada data das promoções, mas é bom ficar ligado para não se dar mal

*Maria Gabriela Vidal

É muito fácil encontrar alguém que passa muito tempo ‘namorando’ algum produto ou desejando concretizar a sonhada compra. Na espera pela melhor oportunidade, muitos consumidores aguardam famosos descontos que chegam junto à última sexta-feira do mês de novembro (27), a Black Friday.

São muitos preços atrativos e variedades de produtos e serviços, mas deve-se redobrar a atenção para não ser vítima de propagandas enganosas e até de golpes. “Não é o percentual do desconto que deve ser atrativo, mas, sim, o valor final do produto e as formas de pagamento”, alerta o advogado e consultor jurídico em direito do consumidor, George Araújo.

É preciso ter cuidado com a publicidade enganosa, a chamada “maquiagem de preços”. Uma boa síntese para a prática pode ser reconhecida pela expressão “tudo pela metade do dobro”: as lojas dobram o valor dos produtos para, em seguida, exibi-los com o atraente desconto de 50%. “No final das contas, não há diferença alguma. Isso se configura como uma armadilha, as lojas costumam usar isso como isca e conseguem até mesmo embutir outros produtos na venda”, sinaliza o advogado. Araújo ressalta que o comprador lesado por essa prática está respaldado pelo Código de Defesa do Consumidor e pode acionar à Justiça por ter sido induzido ao erro por essas empresas, que estarão sujeitas a penalidades.

Ao tratar de compras virtuais, cheque as redes sociais da empresa e comentários de pessoas que já fizeram compras na loja. Além disso, verifique as reclamações em portais como o “Reclame Aqui” e o “Consumidor.gov”. “São plataformas que ajudam o consumidor a examinar a experiência de outros compradores e qual o posicionamento emitido pela empresa”, aconselha o advogado George Araújo. Além de romper a ilusão de ceder a propostas exorbitantes, o consumidor também deve estar atento aos direitos assegurados na hora da compra.

*Sob a supervisão do jornalista Tiago Lemos