Na foto: Reynaldo Mansur Foto: Uendel Galter/ Ag A Tarde

Doença cardiovascular afeta mais de 20 milhões de pessoas no Brasil por ano, sendo que 320 mil são vítimas de morte súbita

*Tácio Caldas

As doenças cardiovasculares são responsáveis pela maioria das mortes no país. Essas doenças afetam, atualmente, mais de 20 milhões de brasileiros e causa 320 mil óbitos por morte súbita por ano. Hoje, o Dia Nacional de Prevenção de Arritmias Cardíacas e Morte Súbita traz à tona a necessidade de reforçar a conscientização sobre prevenção.

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), as doenças cardiovasculares acontecem, na maioria das vezes, pela falta de tratamento de outras patologias que influenciam diretamente no problema. Entre elas, as que mais ganham destaque são o colesterol LDL alto, a hipertensão e a arritmia cardíaca. “Existe a necessidade da gente entender que a morte súbita ocorre de forma que o paciente não tem tempo de chegar no hospital. Ninguém está livre de ter problemas cardíacos. Não é preciso ter caso na família ou ter algum problema que influencie, pois pode acontecer com qualquer um”, explica o cardiologista Nivaldo Filgueiras.

Segundo Nivaldo Filgueiras, por existir a chance da doença acontecer a qualquer momento e espontaneamente, é preciso “prevenir os fatores de risco das doenças cardiovasculares. Em especial, o colesterol alto, o diabetes, a pressão alta”.

O engenheiro mecânico Reynaldo Mansur relatou que renasceu após passar por um problema de saúde em 2015. “Foi em outubro, uma segunda-feira. No dia anterior, acordei várias vezes de madrugada. No dia seguinte, minha esposa me levou para o hospital. Foram 41 minutos de parada assistida, recebi nove desfibrilações. Eu saí sem nenhuma sequela, fiz tratamento de reabilitação e, hoje, tenho 80% da minha capacidade cardiovascular recuperada”, afirmou.

*Sob a supervisão da editora Meire Oliveira