Daniela Franco, 39 anos, viveu o primeiro episódio de trombose em outubro de 2017 Foto: Adilton Venegeroles / Ag. A Tarde

Hoje é um dia de conscientização sobre esse problema, que pode surgir com a Covid-19

*Tainá Cristina

O Dia Nacional de Combate e Prevenção à Trombose, celebrado hoje, tem o objetivo conscientizar sobre a doença, alertando sobre os riscos e a forma de prevenção.

Conforme a presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular Regional da Bahia, Ana Célia, nessa pandemia, o alerta é maior: “A própria falta de atividade física ou o paciente ficar acamado por muito tempo favorece para a formação do trombo. E, o risco é aumentado com o coronavírus, pois, por si só, a doença já é trombogênica. Sintomas como dor, edemas, vermelhidão [principalmente na perna], a gente pode suspeitar de trombose. É claro que têm outros fatores de risco, como o uso de hormônio, mobilização prolongada, traumas locais e outros. O coronavírus pode provocar trombose em qualquer parte do corpo. Onde tiver vaso, ele pode levar à trombose”,ressaltou.

O angiologista, cirurgião vascular e membro do Núcleo de Angiologia e Cirurgia Endovascular da Bahia (Nace),Bruno Canguçu, diz que, para evitar a trombose, é preciso praticar atividades físicas, ter alimentação saudável, se hidratar e evitar consumo de bebida alcoólica e cigarro.

*Sob a supervisão da editora Meire Oliveira