Foto: Band Bahia

Fernando Valverde
redacao@jornalmassa.com.br

A Rede Bahia de Televisão, afiliada da Rede Globo, confirmou oficialmente o cancelamento do debate eleitoral entre os candidatos a prefeito de Salvador previsto para o dia 31 de outubro. De acordo com comunicado enviado para as campanhas que estariam presentes, a emissora alega que a medida foi tomada por conta das preocupações com as questões sanitárias vigentes.

“Em função das questões sanitárias e dos desafios impostos pela pandemia do Novo Coronavírus informamos que não realizaremos o debate do primeiro turno com os candidatos a prefeito de Salvador. A medida é necessária uma vez que não conseguiríamos salvaguardar todos os envolvidos no processo, tanto os nossos funcionários quanto as equipes da campanha eleitoral”, informou a nota.

Com isso, o debate marcado para o próximo dia 24 pela TVE, em conjunto com a Rádio Educadora FM, segue sendo o único ainda confirmado para esse pleito.

Críticas

Além da Rede Bahia, a Record BA também cancelou a sua edição alegando “impossibilidade de seguir os protocolos sanitários recomendados pelos médicos”.

Já a TV Aratu, que ainda não confirmou o cancelamento do debate previsto para o próximo dia 30 de outubro, afirmou à reportagem do A TARDE que “por se tratar de um momento delicado, as preocupações com as questões sanitárias precisam ser ponderadas” e a tendência é que também seja cancelado. 

Em nota, o candidato Hilton Coelho (PSOL), repudiou a posição da emissora por “lavar as mãos em relação a uma informação tão preciosa, como os diversos projetos das candidaturas para a disputa eleitoral” e afirmou que a ausência do debate fortalece “perspectivas autoritárias na nossa sociedade”.

O tom é semelhante ao de outros candidatos, como Olívia Santiago (PCdoB) que já haviam se manifestado após a decisão da Record de cancelar a realização do evento. “É fundamental que a população tenha direito de assistir aos debates na TV aberta para que de fato possa conhecer as propostas de cada candidata e candidato. As emissoras de TV deveriam preservar o direito à democracia de todas as cidadãs e de todos os cidadãos de Salvador”, afirmou.