Foto: Shirley Stolze / Ag A Tarde

Nicolas Melo

Um policial militar levou um tiro de raspão no rosto, na tarde de domingo (22), na rua São Gerônimo, no bairro da Santa Cruz. O soldado Lucas Nascimento, que entrou em confronto com traficantes da localidade, foi levado para o Hospital Geral do Estado (HGE). Informações sobre o estado de saúde dele não foram divulgadas.

Segundo uma testemunha, a ação começou quando uma guarnição da 40ª Companhia Independente da PM (Nordeste de Amaralina), que patrulhava o local, foi alvo dos bandidos. “O bicho pegou aqui na minha rua, a viatura desceu aqui com três ‘cabeças’ e os caras sentaram os dedos (sic) nos homens. Acho que pegou um tiro de raspão porque o policial saiu cambaleando”, relatou um morador, em áudio divulgado no WhatsApp.

De acordo com a fonte, após o PM ser baleado, ele correu para se refugiar na viatura, seguido por um dos colegas, que prestou os primeiros socorros. “Ai, ficou só um policial trocando tiros. Aí, o policial fez a manobra na viatura e acho que, com medo, ele (que estava sozinho em confronto) começou a gritar ‘volta, volta, volta, não me deixa aqui sozinho’. É f***, a gente sai para trabalhar e não sabe se volta”, acrescentou o morador.

Os três policiais conseguiram escapar com vida do tiroteio e, ainda conforme os relatos do popular, moradores da localidade teriam comemorado ao ver o PM ferido. “Uma cena triste você ver o guerreiro baleado, com o rosto todo ensanguentado. Uma cena triste que vi aqui e muitos se glorificando pela miséria do policial que está ali para nos defender, defender a população, que dá a vida dele pela da gente. Que cena triste”, lamentou o homem, em áudio.

O Departamento de Comunicação Social (DCS) da PM, informou, por meio de nota, que a guarnição, ao acessar a rua 11 de novembro, na Santa Cruz, visualizou um grupo de homens na esquina da rua São Gerônimo. “Com a aproximação da viatura, os homens dispararam contra os policiais militares, que desembarcaram e revidaram ao ataque. Na troca de tiros, um policial militar foi atingido e socorrido para uma unidade hospitalar, onde realizou exames e passa por procedimentos”. Até o fechamento desta edição, ninguém havia sido preso.